quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

As múmias de Cladh Hallan



Uma equipe internacional de arqueólogos descobriram duas múmias enterradas no Sul Uist, uma ilha ao largo da costa da Escócia composto de partes do corpo de seis pessoas diferentes.




Os corpos de um homem e uma mulher foram descobertos décadas atrás no mesmo sítio arqueológico.




Durante o estudo, os pesquisadores perceberam que a mandíbula de um deles não se encaixava no crânio, então analisaram o DNA de cada uma das partes, obtendo seis indivíduos diferentes.




As múmias foram colocadas em posição fetal, e haviam sido enterradas entre 300 e 600 anos após sua morte.




Os corpos apresentam uma condição incomum, mesmo mantendo as articulações em conjunto.




Tem se desenvolvido várias teorias sobre este estranho achado, que vão desde o simples ato de substituir a  falta de ossos do esqueleto por outro, até de um ritual de unir os ossos de diferentes membros da mesma linhagem para representar a relação entre eles.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Cemitério com crânios alongados descoberto no México



No estado mexicano de Sonora foi descoberto um cemitério que abriga alguns crânios incomuns. De acordo com especialistas do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), que anunciou a descoberta, o cemitério tem mais de mil anos.




Eles encontraram restos de 25 indivíduos, dos quais 13 têm deformação no crânio. Cinco indivíduos com deformação craniana também apresentam mutilação dentária. 




Os arqueólogos destacaram algumas peculiaridades especiais durante o estudo. Por exemplo, dizer que a prova de que os enterros foram realizados de acordo com costumes que não foram registrados em antigos grupos culturais de Sonora. Isto é indicado, por exemplo, nas deformações cranianas e a modificação com o desgaste do lado dos dentes.




"A área da descoberta mistura expressões singulares de grupos do norte do México, como o uso de ornamentos feitos de conchas do mar Mar de Cortez (Golfo da Califórnia), com tradições ocidentais nunca antes encontradas no território de Sonora" , disse a arqueóloga Cristina Garcia Moreno.




Garcia Moreno enfatizou que nenhum outro sitio arqueológico em Sonora onde as modificações craniana e dentária foi encontrado, e até mesmo no sudoeste dos EUA, que compartilha com a área cultural de Sonora.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

As sereias do século XIX



No século XIX, o mito das sereias tornam-se moda. Centenas de marinheiros afirmaram ter visto esses seres, possivelmente confundindo dugongos e peixes-boi.




Foi nessa época que eles começam a comercializar as sirenas, compradas por marinheiros para afastar a má sorte ou de fornecedores de curiosidades para os circos. Com caudas de peixe, ossos e fios de macacos   foram feitas figuras que pareciam tão reais que fez a sociedade da época acreditar que se tratava de sereias reais. Seu preço era muito alto, causando muitas dividas aos homens que a comprassem. Mas muita gente se aproveitou desses artefatos para enganarem muita gente e ganhar dinheiro.




Por exemplo, em 1830, uma sirena foi exibida no Salão Egípcio, em Londres, que foi comprada por U$ 40.000. Achando que não era realmente uma sereia real, os compradores começaram com uma ação judicial.




Um dos mais famosos foi o Sereia de Fiji, capturado pelo Dr. Griffin (cujo nome verdadeiro era Levi Lyman) nestas ilhas em 1842. Com a ajuda de um cúmplice chamado Barnum, tentaram chamar a atenção da imprensa pelas cartas trocadas entre ambos falando sobre o achado e gravuras vendidas aos jornais, o que causou tanto furor que quando a sirena foi mostrada a centenas de pessoas, fizeram fila para contemplar.




Muitas imagens foram mostradas para chamar a atenção do público, como podem ver na foto acima.




Mais tarde, quando eles perceberam que a sereia era realmente feita a partir de um rabo de salmão e um corpo e uma cabeça de macaco, Griffin e seu cúmplice fugiram com todos os recursos obtidos.




A Sereia de Fiji original foi queimada no incêndio que sofreu o Museu de Barnum em 1860. Detém atualmente uma cópia, que está na posse da Universidade de Harvard e está em exposição no Museu de Arqueologia e Etnologia Peabody.




No século XXI, as sirenas voltaram a ter importância por causa de um vídeo postado no Youtube que alegou que havia duas sereias. Todos os olhos estavam sobre as sereias de Buxton, sendo estudado na Universidade de Lincoln para tentar descobrir suas origens. Acredita-se que vêm do Extremo Oriente, e foi feito por um taxidermista, no século XIX.




O cabelo da sereia é humano, e está a investigar o DNA da cauda para determinar a qual  peixe pertence. A estrutura da carroceria é feita de madeira e arame, os dentes são esculpidos é os ossos e os olhos são conchas de moluscos.



domingo, 9 de dezembro de 2012

A história da Torre de Babel



Todos falavam a mesma língua e as mesmas palavras usadas. E como os homens migraram do leste, eles acharam um vale na região de Sinar, e lá se estabeleceram. Então disseram uns aos outros: "Vamos! Ponhamos a fazer tijolos e cozinhar no fogo."




E usaram o tijolo por pedra, e o betume serviu-lhes para a mistura. Então eles disseram: "Vamos construir uma cidade com uma torre cujo cume toque nos céus, para perpetuar nosso nome e não ser espalhados sobre a terra."




Mas o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo, e disse: "Se este é o primeiro trabalho que eles fazem, qualquer coisa que eu pretendo fazer será impossível, enquanto a formação de um povo com todos falando a mesma língua. Vamos descer, então, e uma vez confundamos ali a sua língua, para que um não vai entender o outro."




Assim o Senhor os espalhou daquele lugar, espalhando-os por toda a terra, e eles pararam de construir a cidade. É por isso que ela foi chamada de Babel: Pois, de fato o Senhor confundiu a língua dos homens e os espalhou por toda a terra.




Desde a sua menção no Antigo Testamento, a Torre de Babel assume um valor maior do que sua magnífica arquitetura. Ela se torna um símbolo da confusão que permeia o homem quando ele não pode se comunicar com os seus semelhantes, porque cada um usa sua própria linguagem. Esta situação foi (segundo a Bíblia), causada por Deus para punir o orgulho de seres humanos que queriam tocar o céu com as mãos.



Para tentar desvendar o mistério da torre babilônica devemos partir da afirmação de sua existência. Sem dúvida, foi um monumento, que teve tanta importância, a ponto de ser parte do folclore de um povo, em resposta a existência de muitas línguas.




Etimologicamente, o nome de "Babel" vem de duas raízes. Na Babilônia "Bab-ilu" (Portão de Deus) e do hebraico "Balal" (confusão).




A torre mítica cresceu na cidade de Babilônia, ao sul de Bagdá, no vale médio do rio Eufrates.





A cidade é considerada por ter se localizado a civilização suméria. A tradição diz que os sumérios vieram do leste. De acordo com estudos arqueológicos dos estados que constituem um ramo da raça indo-europeia.




Como o seu país de origem era montanhosa. Isto é plausível e é deduzido do fato de que seus deuses são sempre retratados em pé sobre uma montanha. Os sumérios adoravam seus deuses em lugares altos. Quando migraram ao vale do Eufrates não encontraram elevações naturais adequadas para o culto religioso. Tudo era plano.




Daí sua predileção por lugares altos altos, pois acreditavam que quanto mais estavam em lugares altos mais se aproximavam de Deus. Então, esses lugares com finalidade religiosa eles chamavam de "zigurates" (morro ou montanha do céu).




Em todas as grandes cidades tinham pelo menos uma destas torres. O primeiro zigurate da Babilônia foi construído por Hamurabi (1792-1750 aC), o sexto rei da dinastia semita, que governou toda a Mesopotâmia e a Babilônia durante o seu reinado que experimentou um grande florescimento cultural.




Na Babilônia de Nabucodonosor II, que deu a esta cidade a magnificência mais lendária dentro do império babilônico, como em 604 aC o maior templo da Babilônia foi o Esagil, dedicado a Marduk, a principal divindade da cidade.




Foi erguido um templo de 90 metros de altura, chamado Etemenanki (casa da fundação do céu e da terra), rebatizado pelos hebreus como a torre de Babel. Além da referência ao fato de o material da união do céu e da terra através do zigurate, há uma união espiritual entre os dois partidos organizados do mundo, de acordo com a crença da época.Uma incrível tecnologia empregada na época dos reis da babilônia




Mas a torre da Babilônia foi completamente destruída. Embora, hoje, graças às descrições em textos antigos, podemos fazer uma delimitação de sua arquitetura.




Heródoto a descreveu com um grande tamanho em seu interior. Ao longo deste sete terraços sobrepostos, que são acessados ​​por um caminho em espiral afora.




Vale ressaltar que o que viu o filósofo grego não foi o edifício original, que havia sido destruído por ordem e Jerges (479 a.C), mas a construção remodelada depois de ter sido danificada por várias guerras e invasões.




Durante escavações em 1899-1917, por uma expedição alemã, liderada pelo arquiteto Robert Koldewey, encontraram os andares inferiores da torre. Segundo escrituras, a base tinha pouco mais de 89 metros, a altura e largura e comprimento eram iguais, os terraços de dimensões desiguais, tinham sete no total.




O edifício foi coberto por um santuário no qual (diz Heródoto) tinha uma cama e uma mesa de ouro. Ninguém dormiu lá, somente uma mulher escolhida por Deus. Este santuário teria sido destinado para o casamento sagrado de Deus.




A arqueologia é a tradição histórica reconhece esse zigurate como o protótipo da Torre de Babel bíblica.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Ovni capturado pela sonda Spirit em Marte?



Esta é uma história que foi relatada á algum tempo atrás, foi pouco repercutida mas o mistério ainda continua, embora muitos pensem que se trata de uma fraude, também existem aqueles que defendem a sua veracidade.




Embora seja sabido que muitas dúvidas ​​entram em jogo quando se lida com as fotografias de Marte, algumas vezes tornam-se muito enigmáticas as fotografias. Esta foto tirada pela câmera panorâmica do Espírito é um exemplo.


 

À primeira vista, pode-se observar uma nave espacial vista no céu do planeta vermelho, aparentemente, e não é somente isso que causa motivos de discussões, pode se ver perfeitamente que esse estranho objeto deixa para trás um rastro. 




Como podemos ver na imagem acima, seria o rastro deixado por essa nave espacial alienígena, ou talvez algum outro veiculo da NASA não reconhecido? Essa segunda hipótese soa até meio absurda.


 
O fato é que se trata realmente de mais um ovni capturado pelas sondas robóticas no planeta vermelho, e não é somente em Marte que esses estranhos objetos se fazem presentes, também tem se registrado diversas "anomalias" em fotos tiradas do espaço, local mais apropriado para se encontrar naves errantes.




A sonda SOHO tem nos presenteado ultimamente com diversos registros das aparições dessas naves em nosso Sol. Alguns chegam até a causar comportamentos violentos do Sol, não sei se é isso o que desejam, mas e verdade que o Sol tem se comportado de forma estranha ultimamente.




Objetos dos mais variados tipos, tamanhos tem sido muito bem fotografados pelo SOHO. Eles de tímidos não tem nada, pois muitos deles chegam a "desfilar" para as câmeras do SOHO, sem fazer nenhuma cerimonia, mas e verdade que também desaparecem do nada.




Voltando a Marte, quem disse que somente os ovnis se fazem presentes? Também suas bases são frequentes por lá. A sonda Spirit também capturou essas enigmáticas fotos de supostas bases extraterrestres presentes em Marte.




E de se assustar como a presença alienígena em Marte é bastante comum. A NASA então não passa de uma "intrusa" em solo marciano.

Deixo dois vídeos mostrando essas anomalias capturadas em Marte, e óbvio que muitos irão falar que se trata de fraudes, montagens de fotos, erro das lentes, enfim, muitas dúvidas existem quando se trata de assuntos ufológicos, mas a decisão cabe sempre ao leitor decidir.



video


video