segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Estranhas coincidências



Esta matéria foge um pouco dos demais assuntos abordados nesse blog, porém trata-se de estranhos casos realmente ocorridos que se levantam muitas dúvidas sobre esse desconhecido chamado destino. Vale a pena ler esses misteriosos casos abordados, e tirem suas conclusões. 




Frederick estava viajando a toda velocidade em seu carro por uma estrada solitária em Worcestershire, Inglaterra, quando viu os faróis de outro veículo vindo na pista contrária. Ambos os motoristas tentaram frear e desviar para evitar a colisão, mas não conseguiram evitar. Ambos sofreram ferimentos leves e saíram quase ilesos. Ambos ficaram surpresos ao descobrir que eles tinham o mesmo nome.




Em 28 de julho de 1900 o rei italiano Umberto I jantou em um restaurante de Monza, Quando o dono do restaurante veio anotar o pedido do Rei Umberto, o Rei notou que ele e o dono do restaurante eram verdadeiras cópias um do outro, tanto de rosto como em constituição física. O monarca viu com espanto que o dono do restaurante não só se parecia com ele, mas também nasceu no mesmo dia, na mesma cidade. Além disso, o nome de sua mulher era Margherita, assim como o nome  da rainha. Para completar, o dono do restaurante também se casou no mesmo dia que o monarca e seu restaurante foi aberto no mesmo dia que Humberto I tinha sido coroado rei. O paralelo culminou em tragédia no dia seguinte, quando Umberto foi informado de que o dono do restaurante havia morrido em um misterioso acidente com tiros, e, enquanto o rei expressava o seu pesar, ele foi então assassinado por um anarquista que estava na multidão.




Em 1893, Henry Ziegland abandonou sua namorada e ela cometeu suicídio. Em vingança, o seu irmão o seguiu até sua casa e atirou-o no jardim, mas ele sobreviveu porque a bala só roçou seu rosto e bateu em uma árvore. Em 1913, Ziegland decidiu dinamitar as raízes da árvore, que ainda tinha a bala incorporada, para arranca-lá do jardim. A explosão propeliu a bala que o atingiu na cabeça o matando instantaneamente.




Um oficial britânico, o Major Summerford, enquanto passeava nos campos de Flandres, em fevereiro de 1918, foi atingido de seu cavalo por um raio, deixando-o paralisado da cintura para baixo. Summerford se aposentou e mudou-se para Vancouver. Um dia, em 1924, enquanto pescava nas margens de um rio, um raio atingiu a árvore em que ele estava sentado e paralisou o lado direito de seu corpo. Dois anos mais tarde Summerford já estava suficientemente recuperado, foi dar um passeio por um parque local. Enquanto passeia pelo parque em um dia de verão em 1930, foi atingido por um raio, paralisando-o permanentemente. Ele morreu dois anos mais tarde, mas isso não seria o fim. Quatro anos mais tarde, durante uma tempestade, um raio atingiu um cemitério e destruiu uma lápide. Quem estava sepultado na lápide? Sim, era o Maior Summerford.




Essa lenda é transmitida por Aulus Gellius, , um escravo na época do cruel imperador romano Calígula, havia se refugiado em uma caverna na África, fugindo da crueldade de seu mestre. De repente apareceu um leão que estendeu uma pata para ele. Androcles percebeu que o leão estava ferido na pata traseira e então tratou do ferimento do animal. Mais tarde, capturado, Androcles foi levado para a arena, para ser comido pelos animais. O leão que o tinha de comer não era outro senão o animal ferido da caverna. Ao reconhecer Androcles, o leão começou a lambê-lo em vez de atacar. Isso lhe valeu a liberdade e vida para o escravo.




No século XIX, Edgar Allan Poe escreveu um livro chamado A Narrativa de Arthur Gordon Pym. Era a história de um naufrágio em que os quatro sobreviventes, navegaram em um barco por vários dias, até que três deles decidiram matar o mais novo para comer. Na história, o nome do menino de cabine era Richard Parker. Alguns anos mais tarde, em 1884, o brigue Mignonette afundou, e seus quatro sobreviventes de longo tempo ficaram presos em um barco. Eventualmente, os três membros mais velhos do barco decidiram matar o menino para comer. O nome do menino era Richard Parker.
  

5 comentários:

  1. AS AVENTURAS DE PI!!!!!
    O TIGRE SE CHAMA RICHARD PARKER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e na historia de Pi sobram 4 sobreviventes além dele, os 4 animais um é o Richard Parker

      Excluir
  2. Muito legal essa matéria.

    ResponderExcluir
  3. Our best restaurant monza is spread in the arcades and is easily accessible from C.rso Milan. You can also book a table and ask our customers to report immediately any requests.

    ResponderExcluir